Estabelecer uma correta estratégia empresarial é imprescindível para que a sua organização possa se adaptar às constantes mudanças do mercado, às necessidades dos clientes e, assim, alcançar os objetivos e metas estratégicas.

A estratégia pode ser definida como o padrão das principais metas e propósitos, bem como dos planos elaborados para esse fim, estabelecidos de tal forma que definam que tipo de empresa você deseja construir.

Pensando nisso, abordamos, ao longo deste artigo, os 10 elementos cruciais que todo empresário deve considerar em seu planejamento estratégico. Boa leitura!

1. Gestão de pessoas

À medida que os departamentos de recursos humanos se concentram em atividades administrativas, como o cálculo de salários e a seleção de novos funcionários, deixam de lado o cumprimento de sua missão dentro da empresa e, consequentemente, não assumem uma posição estratégica.

Dessa forma, a gestão de pessoas se torna meramente transacional, abrindo mão de sua capacidade de contribuir para fazer com que o capital humano seja, de fato, o recurso mais valioso da organização.

A atuação do RH deve estar focada em assegurar que a empresa tenha o pessoal certo para desempenhar suas funções, com habilidade e conhecimentos atualizados e capazes de agregar valor ao negócio, além da motivação necessária para dar o melhor de si, a fim de atingir os objetivos almejados.

2. Estratégia comercial

A estratégia comercial se concentra na forma pela qual uma empresa compete em um determinado setor ou nicho de mercado. Se a organização obtiver êxito e prosperar em seu segmento, estabelecerá uma vantagem competitiva sobre os seus rivais.

Portanto, a estratégia comercial também pode ser considerada uma estratégia competitiva. Embora seja preciso considerar algumas nuances importantes, há, de modo geral, dois caminhos principais pelas quais uma organização pode competir: diferenciação e baixo custo.

3. Marketing e branding

Enquanto pessoas jurídicas, as marcas também têm vida e uma história própria que condicionam e forjam sua personalidade. Esse aspecto é essencial, pois constitui a base do relacionamento com clientes, fornecedores e colaboradores.

Com efeito, uma marca pode ser inocente, guerreira, sábia ou rebelde, isto é, ter seus próprios traços distintivos. E aqui temos o “maná” e a “terra prometida”: o caminho para alcançar a diferenciação no mercado.

Portanto, quando você deseja criar ou reposicionar uma marca, deve começar definindo os valores, a essência e a personalidade, e procurar sua própria história.

Essa é a base para o desenvolvimento da imagem corporativa, para saber qual tipografia é apropriada, quais cores são adequadas e como deve ser o padrão visual adotado em qualquer interação ou comunicação com os clientes e o público em geral, envolvendo, também, o relacionamento com o meio ambiente, fornecedores e colaboradores.

4. Propósito

O gestor deve ter claro qual é o propósito de sua empresa, sendo capaz de transmiti-lo às pessoas que o acompanham em suas iniciativas, para que o adotem como seu e trabalhem consistentemente para realizá-lo.

Tenha em mente que de nada adianta ter uma excelente ideia e os recursos necessários para colocá-la em prática se você não tiver certeza de aonde quer chegar com ela.

5. Posicionamento

O posicionamento de marca tem se consolidado como uma das principais alternativas de atuação das organizações, pois, além de permitir que as empresas se diferenciem de seus concorrentes e agreguem valor aos produtos e/ou serviços que oferecem, responde às necessidades dos consumidores.

Isso não só leva à satisfação dos compradores, como também promove uma percepção favorável em relação à marca, contribuindo para incrementar a fidelização — o que, nos dias atuais, é um enorme desafio, devido à forte concorrência presente em todos os segmentos.

6. Objetivos claros

A definição de objetivos claros é o que faz com que um projeto dure e sobreviva às mudanças inerentes a qualquer organização. Em geral, as iniciativas adotadas devem aportar algo ao negócio, como um aumento da rentabilidade, redução de custos, fortalecimento do relacionamento com os clientes, posicionamento competitivo, entre outros.

A clareza dos objetivos depende, em grande medida, dos fatores indispensáveis, isto é, eles devem ser tanto acionáveis quanto mensuráveis.

Objetivos formatados em prazos muito longos requerem um replanejamento das entregas parciais, dos possíveis hiatos no transcurso dos projetos e dos elementos que permitem a geração de relatórios ou informes acerca do progresso em direção à meta final.

7. Engajamento dos colaboradores

O engajamento dos colaboradores é a chave para otimizar a produtividade de uma empresa, além de ser a melhor maneira de atingir o próximo nível de competitividade e enfrentar os desafios impostos por um mercado cada vez mais profundamente globalizado.

Em termos do sucesso de uma empresa (compreendido em sentido amplo), o comprometimento dos melhores talentos de que dispõe é, sem dúvidas, o aspecto mais importante, devido à sua capacidade de determinar o alcance e a possibilidade de atingir bons resultados.

Os benefícios propiciados por uma equipe de colaboradores altamente engajada são múltiplos e evidenciam-se no dia a dia de uma organização.

O crescimento dos negócios, a produtividade, a eficiência e a coesão das equipes de trabalho são os efeitos mais notórios da consolidação do engajamento e da consequente satisfação dos profissionais que compõem a sua empresa.

8. Cumprimento da missão da empresa

A missão permite que profissionais e equipes sejam orientados em uma mesma direção e dota de estrutura e coerência o desenvolvimento de estratégias, a fixação de objetivos e a execução de tarefas e, sobretudo, facilita o processo de tomada de decisões.

Em outras palavras, a missão serve como um elemento de coesão e de motivação, favorecendo a integração, o engajamento e o comprometimento dos colaboradores, que passam a se sentir identificados com ela.

Graças, também, à missão, a sua empresa poderá se beneficiar com a consolidação de uma identidade que a distinguirá de outras do mesmo segmento de atuação, tornando-a verdadeiramente única para clientes, fornecedores e outros agentes externos.

Por tudo isso, uma comunicação clara e adequada da missão entre todas as pessoas e equipes envolvidas em perseguir o sucesso do negócio é absolutamente essencial.

9. Valores

Visão e valores, no contexto da estratégia empresarial, são as crenças básicas e compartilhadas que regem o comportamento individual e coletivo em qualquer organização.

Eles estabelecem a forma pela qual a marca deve ser conduzida e projetada, formando a base de sustentação dos objetivos estratégicos.

10. Mecanismos de comunicação

A comunicação interna é a ferramenta estratégica ideal para transmitir corretamente a todos os colaboradores, independentemente de seu nível, os objetivos, os valores e os métodos de execução promovidos pela organização, o que gera uma cultura de apropriação simbólica, fidelidade e um sentimento de pertencimento à empresa.

Isso tem grande influência sobre os colaboradores que, assim, sentem-se motivados e valorizados por terem claros os princípios da empresa e seus papéis na superação dos desafios que ela enfrenta e na perseguição de seus objetivos e metas estratégicas.

Gostou do artigo? Então, assine a nossa newsletter e receba todas as atualizações diretamente em seu e-mail!